Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
NEABI

NEABI (Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas) na 1ª Jornada do IFSP Cubatão

  • Publicado: Sexta, 17 de Novembro de 2017, 10h52
  • Acessos: 1205

A 1ª Jornada do IFSP, realizada entre os dias 6 e 9 de novembro de 2017, na cidade de Cubatão-SP,  contou com diversas atividades e também, com a programação do NEABI.

Dentre as atividades na Sala do NEABI tivemos o lançamento do Dossiê NEABI 2016/2017, que resume as atividades realizadas pelo núcleo e o NEABI Indica 2, que aponta livros, filmes e atividades sobre temas afins.

Realizou-se também mesa redonda sobre A Promoção da Diversidade Étnico-Racial, palestra sobre Africanidade, mesa redonda acerca do Resgate da Cultura Indígena, oficina de Contação de história, palestra sobre Racismo, roda de conversa sobre Ações Afirmativas, oficina de Turbantes,  palestra sobre Ensino de Ciências, roda de conversa com os bolsistas do Programa de Extensão- NEABI em Ação, que contou com a presença das bolsistas  Pâmela Regina, com o projeto coordenado pelas servidoras pedagoga Andréia Regina Silva Cabral Libório e Profª. Ronise Suzuki de Oliveira, "Protagonismo Quilombola: Um resgate da memória e história do Quilombo Peropava"  e  Larissa Cugler, com o projeto coordenado pela servidora Profª. Maria de Fátima das Neves Moreira, "História e Cultura Afro-brasileira: Elaboração de material didático para Educação Infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental sobre  Comunidades Quilombolas"ambas as  estudantes do curso de Licenciatura em Física do Câmpus Registro e a premiação do II Concurso Literário.

E, entre as poesias vencedoras do Concurso, tivemos a da nossa querida aluna Yasmin França Lopes, do curso técnico em Logística - Câmpus Registro:

 

 

 1º lugar na categoria Poema (discente)

 Título: Sinônimo de força é mulher.

 

 Sinônimo de Força é Mulher

De pele escura e olhos puxados,

Cabelo liso, solto no vento

De pele escura e boca grande,

Madeixas com curvatura e movimento.

 

Negras e Índias, lindas mulheres,

Mas não vim falar da aparência,

Mais linda que sya beleza externa

É a força da sua essência.

 

A mulher foi o  pilar de crescimento do país,

Pisada, descartada e humilhada,

Seu dever era cuidar dos filhos e da casa,

Muitas vezes minimizada e objetificada

 

A base do Brasil e

Da família nacional,

Mães na senzala, mucamas na casa grande

E nas organizações líderes sem igual

 

 Mulher bão podia lutar?

Casa era um dever só seu?

Sim, e esse pensamento ultrapassado

Foi herdado por nós do machismo europeu.

 

Mas lá estavam elas, ajudaram na

Organização de revoltas por liberdade,

E por trás dos homens já estavam as mulheres

Essa afirmação segue como verdade

 

 Quebradeiras de coco,

Cozinheiras e lavadeiras,

Guerreiras nas aldeias

Fortes são as indígenas brasileiras.

E continuavam as negras atuando

 

Na formação de quilombos

Difundindo nossa cultura

Trazendo o samba de roda, o maculelê e o jongo.

 

Porém, agora as coisas mudaram

É tempo de empoderamento

A mulher está se tornando dona de si,

 E vive um importante momento

 

 Hoje ainda é a rainha da casa

 Mas chega tarde, passa o dia a trabalhar;

 E tem presta que vai pra Universidade

 E se dedica a estudar

 

Dona de casa, dona de si, negra, índia,

 Mãe, mulher brasileira,

 Símbolo do trabalho, da família, do sucesso

 E da resistência que ultrapassa qualquer barreira.

 

ozio_gallery_nano

 

Fim do conteúdo da página